Zidane: “A diferença para Isco é que na seleção tem oito partidas e aqui há 60”

Marcelo fala sobre o jogo mais difícil de sua carreira e monta um time com os 11 melhores que já jogou
2 de abril de 2018
Raúl diz que duelo contra a Juventus é perigoso
2 de abril de 2018

Técnico analisou bem a partida de ida, comentando sobre vários aspectos que rodeiam esse jogo

Compartilhe

Dê uma nota pra esse post:

Em coletiva de imprensa concedida hoje, o técnico Zinedine Zidane falou sobre o duelo nas quartas de final contra a Juventus. O francês analisou a partida contra o time italiano e falou sobre seu retorno a Turim.

Lembranças da última final: “Vamos tentar fazer uma boa partida, mas não tem relação com a que aconteceu há 10 meses”.

O esquema que mais agradou: “Eu gostei de todos, não há grandes diferenças. O que escolhemos valoriza as pontas, com espaço no meio, um 4-3-3. Gosto de mudar e jogar de maneiras diferentes”.

A sensação de suplentes daqueles que ficam fora de uma partida importante: “Espero muito que um jogador não pense isso, porque aqui não é assim. Para mim não há suplentes, tenho 25 jogadores muito bons e vou utilizar todos. Há momentos em que alguns vão jogar mais. Talvez com Isco seja diferente na seleção porque tem oito partidas no ano, e aqui há 60, jogamos a cada três dias. É meu conceito de treinamento”.

A Juventus é mais forte nas eliminatórias: “Não sei, não fico pensando muito nisso. Hoje é uma partida diferente, um cenário diferente. Será uma partida importante para os dois times, mas precisamos estar bem preparados”.

Seu tempo na Juve e a derrota em Amsterdã: “Dos meus cinco anos na Juventus, acho que aprendi e cresci muito como jogador e pessoa. Era uma mudança de ares muito brusca, e me receberam como família. Tenho boas memórias dessa fase na minha carreira. Mas agora estou em outro lugar, quero pensar nessa partida. Sempre dói quando se perde um jogo, naturalmente foi assim em Amsterdã. Mas faz parte do futebol”. (se referindo à final da Liga dos Campeões de 97/98, quando o Real Madrid venceu a Juventus, que tinha Zidane)

Mesma postura de Cardiff, na final anterior: “Não, porque é totalmente diferente, não tem nada a ver. Nos saímos bem mas agora é totalmente diferente, algo que pode mudar tudo, ou não. Só saberemos amanhã”.

Ponto forte da Juventus: “O que estão fazendo em geral é muito bom, é um time muito completo e é preciso estar atento a todo, em todas as posições e linhas”.

Os jogadores são consultados na hora de escolher os titulares: “Isso é uma coisa de vestiário, não vou te responder isso”.

O que mudou no Real da final em Cardiff para o de hoje: “Não somos tão diferentes assim porque estamos com quase os mesmos jogadores, mas desde esse jogo nossa temporada não é tão boa quanto esperávamos. Tenho  todos os jogadores, menos Nacho, o que é uma dor de cabeça na hora de selecionar o time.

Sobre treinar a Juventus um dia: “Nunca posso dizer nunca, mas hoje estou feliz onde estou e me dedicarei somente em treinar o Real Madrid, não penso no futuro, apenas dia após dia. Todos sabem bem como é essa profissão, ainda mais aqui no Real Madrid”.

Real Madrid e Juventus estão no mesmo nível: “O DNA dos dois times é igual, sempre lutando para ganhar as partidas. Estou de acordo com essa afirmação”.

O futebol da Juve: “Acredito que estão fazendo uma boa temporada e o que se fala do campeonato Italiano são apenas comentários individuais. Eu já vi muitas partidas da Juve esse ano e gostei muito de como jogam”.

Um bom resultado amanhã: “É complicado dizer agora, nós sempre partimos para ganhar a partida, contra qualquer time. Mas significa nada o que fizemos antes. É verdade que, em partidas eliminatórias, não ganhamos deles, mas estamos aqui para tentar mudar tudo isso”.

  Paul Stastny Jersey

Autor
Redator
Sorry! The Author has not filled his profile.

Compartilhe
Lucas Kalebe
Lucas Kalebe
Estudante de jornalismo, loucamente apaixonado por futebol e madridista de sangue blanco. Nenhuma alegria superará a que senti no minuto 93. [email protected]
%d blogueiros gostam disto: