O esforço de Lucas Vázquez é imenso, mas não é maior que suas limitações técnicas

Brahim Díaz é apresentado pelo Real Madrid, recebe a ’21’ e enfatiza: “É o dia mais importante da minha vida”
7 de janeiro de 2019
Real Madrid consulta Tottenham por Eriksen, que pede €250 milhões
8 de janeiro de 2019

Lucas Vázquez foi expulso após falta desnecessária contra a Real Sociedad e fez outra partida ruim

Compartilhe

Dê uma nota pra esse post:

O atacante Lucas Vázquez, de 27 anos e formado nas categorias de base do Real Madrid, ganhou a condição de titular no time merengue por se dispor a defender, por conta do péssimo momento de forma de muitos dos jogadores de frente do clube e, sua inocente (e justa) expulsão diante da Real Sociedad, não somente auxiliou na construção da derrota em casa pelo placar de 0-2 na partida válida pela 18ª rodada da La Liga, mas também terminou de evidenciar o quanto essa condição de titular indiscutível é terrivelmente lamentável.

É triste que o lado direito do ataque madridista, que anteriormente foi ocupado por Luis Figo, David Beckham e Arjen Robben, seja agora ocupado por um atacante destro que parece ter duas pernas esquerdas e cuja carta no FIFA 19 deveria ser prata… Não-rara. Lucas não é um bom finalizador e mostra-se impreciso, tanto nos dribles, quanto nos passes, além de não ter uma grande velocidade. É uma figura nula no ataque. Por tentar muito e, consequentemente, errar muito, esporadicamente consegue marcar algum gol e/ou conceder alguma assistência, contando também com alguma sorte na criação dessas possibilidades e de outras jogadas que venham a criar algum perigo.

Deve-se enaltecer que, sim, é um jogador que dá o seu máximo e que se nota os valores do clube nele, muito por ser canterano, mas estes valores devem ser claramente observáveis em todos os jogadores do elenco do Real Madrid, sejam eles das categorias de base ou não, pois a responsabilidade e a exigência são altíssimas para todo o grupo. Vázquez conquistou a titularidade por conta do baixo rendimento de jogadores como Isco e Asensio, mas também por correr muito para trás, o que deveria trazer maior equilíbrio defensivo à equipe. E correr muito para trás é diferente de correr bem, pois se o fizesse adequadamente não teria sido expulso de forma tola no último domingo.

Lucas em jogada com Oyarzabal

Neste ponto, Solari se equivoca e abre mão de aspectos relacionados à coragem, que deve transbordar no treinador do maior clube do mundo. Ao colocar um atacante que não contribui para a fase ofensiva apenas pelo fato de se dispor a marcar e correr muito sem bola, ele transmite uma mensagem pobre em qualidade de ataque e rica em medo por um resultado adverso. TODOS devem HONRAR o compromisso de defender, inclusive os atacantes e isso é óbvio, mas estes, sobretudo, devem ser bons. Devem atacar com qualidade e criatividade, devem defender com vontade e comprometidos com a instituição, devem exercer essas funções assim como Leroy Sané, que é um jogador fantástico, exerce de modo magistral no Manchester City.

Respeito quem considera a expulsão contra a Real Sociedad como injusta, mas não concordo. Ao meu ver, a expulsão foi inocente e justa e o único aspecto injusto de todo esse contexto, é que Lucas Vázquez faça parte do elenco e ocupe um posto (4º atacante de lado) que deveria ser, em minha opinião, de Martin Ødegaard, desde que o norueguês chegou ao clube. Ødegaard tem talento para se tornar um craque de classe mundial e merece oportunidades, aliadas a um um tratamento como Vinicius Jr. está iniciando a ter neste momento da temporada, ganhando importância no momento adequado.

Há alguns meses, integrantes da imprensa espanhola especulavam que Lucas estaria insatisfeito pois “agora que Cristiano se foi, joga ainda menos”. Deve estar feliz (e muito) por fazer parte do elenco, que já é uma grande conquista. E sobre rasgar a camisa após ser expulso, vejo como uma reação repleta de raiva após fazer uma besteira, mas não acredito que tenha aprendido a fazer isso durante sua formação futebolística dentro do Real Madrid e não enxergo isso como uma boa atitude, pois pode ser vista como uma forma de desrespeito à instituição. Seria interessante que destinasse um maior cuidado a este tipo de movimento, preservando-se adequadamente.

Vázquez deixa o campo após receber o 2º amarelo e rasga a camisa

 

Autor

Bacharel, Licenciado e Especialista em Educação Física.
Mestre e aluno de Doutorado em Desenvolvimento Humano e Tecnologias.
Treinador de futebol habilitado pela The FA (Inglaterra) – Nível 1.
Idiomas: Português (brasileiro), Inglês, Espanhol e Italiano.

Instagram e Twitter: @ericmrlima
E-mail: [email protected]
Site: mafiamerengue.com


Compartilhe
Eric Lima
Eric Lima
Bacharel, Licenciado e Especialista em Educação Física. Mestre e aluno de Doutorado em Desenvolvimento Humano e Tecnologias. Treinador de futebol habilitado pela The FA (Inglaterra) - Nível 1. Idiomas: Português (brasileiro), Inglês, Espanhol e Italiano. Instagram e Twitter: @ericmrlima E-mail: [email protected] Site: mafiamerengue.com
%d blogueiros gostam disto: