Lesões terminam em despedida, a má temporada de Zidane.

Derrotas para Cádiz, Aláves e Levante em La Liga na temporada 2020/21, custaram o título nacional. Duas derrotas para o Shakhtar Donetsk quase levaram o maior clube de futebol do planeta ao segundo escalão da europa, a Europa league. Derrota para o minúsculo Alcoyano da Segunda División B, considerada terceira divisão da Espanha, minou prematuramente a possibilidade de título da copa nacional. Derrota para o Chelsea na semifinal da Uefa Champions League encerrou as chances de título merengue em 2021. O que essas derrotas têm em comum? A ineficiência de Zinedine Zidane à beira do campo.

Erro na montagem de elenco ao permanecer com jogadores que, infelizmente, não conseguem mais entregar o que já conseguiram, sendo eles: Isco, Marcelo e vale mencionar Hazard e Mariano, que foram bem longe de Madrid. Embora este último tenha sido até colocado na lista de dispensa, a vontade do próprio jogador de permanecer prevaleceu.

Não saber extrair o melhor de jogadores como Odegard e Jovic, que permanceram em Valdebebas durante um período. Optar por ficar com Marcelo e Odriozola ao invés de Reguillon e Hakimi, além de dispensar Ceballos, James e Bale. Todavia, o atacante galês não tem mais clima, a quantidade de atitudes desrespeitosas à instituição Real Madrid, mostram que o jogador jamais deve voltar a vestir o branco em Madrid, isso é um capítulo a parte.

Errar em contratações, como os atacantes belga e sérvio, pedidos pelo treinador francês, exceto o acerto na contratação do lateral Mendy, questionável tecnicamente, mas com boas atuações, sempre regulares.

São pequenas demonstrações do que Zizou não é capaz de fazer como gestor de elenco, alguns jogos faltam técnica e capacidade de enxergar o jogo e aplicar as mudanças necessárias. A semifinal contra o Chelsea é uma grande demonstração, dois jogos com esquema de três zagueiros, resultando em um baile tático de Tuchel e classificação inglesa para a final.

Zidane abandona o projeto após uma má temporada, diversos jogos necessitavam mais de sua atuação à beira do campo. Quando Florentino pegou o telefone em 2019, ligou e solicitou para o francês tirar o clube do ostracismo que foi aquela temporada e recuperar o time, deixar nos eixos, aconteceu até certo ponto. O treinador pula do barco, muito em razão da pressão sofrida, se despede com uma temporada sem taças, e provavelmente, a pior de sua carreira sentado ao banco.

Uma temporada sem títulos é triste e preocupante, ainda mais quando o seu principal adversário, em crise anunciada e perdendo o maior jogador da história do clube, ainda sim, consegue levantar a Copa del Rey.

A grande revolução que Zidane disse que faria, em seu retorno em 2019, não aconteceu. Agora outro comodante deverá prosseguir com a revolução madridista.

¡Gracias por lo todo, mister!

Enzo Zook Subscriber
Sorry! The Author has not filled his profile.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.