Como é o retrospecto dos treinadores que tiveram mais de uma passagem pelo Real Madrid?

Benzema, Modric e Odriozola na vitória do Real Madrid contra o Valladolid. Antonio Villalba / Real Madrid
Real Madrid goleia o Valladolid com 2 gols de Benzema e boa atuação de Modric
10 de março de 2019
Éder Militão assina com o Real Madrid e reforça a equipe na próxima temporada
OFICIAL: Éder Militão assina com o Real Madrid
14 de março de 2019

(foto: reprodução/Foto: FRANCK FIFE / AFP)

Compartilhe

Dê uma nota pra esse post:

O Real Madrid anunciou a volta de Zinedine Zidane ao comando da equipe até junho de 2022, essa será sua segunda passagem pelo clube blanco. O grande técnico francês se junta a alguns outros nomes que passaram pela equipe merengue mais de uma vez.

 

Jacinto Quincoces: 1945-46 e 1947- 1948 (janeiro)

Depois de treinar o Real Zaragoza e a Seleção Espanhola, Quincoces assumiu o Real Madrid em 1945. Sob seu comando, a equipe terminou em quarto na liga e venceu a Copa del Generalisimo, porém seu contrato não foi renovado. Em 1947, ele voltou ao banco da equipe, porém foi demitido após apenas de 17 jogos, pois a equipe venceu cinco jogos, empatou quatro e perdeu oito.

 

Baltasar Albéniz: 1946-47 e 1950 (novembro)-1951 (março)

Baltasar entrou no lugar de Quincoces para a temporada 1946-47, na qual venceu a copa nacional. Na temporada seguinte, dirigiu o time em apenas dois jogos, e foi substituído por Jacinto Quincoces. Em 1950, ele retornou ao comando do Madrid, mas foi demitido após 16 jogos.

 

Miguel Muñoz: 1959 (fevereiro)-1959 (abril) e 1960-1974 (janeiro)

Muñoz é o treinador que teve mais sucesso na história do Real Madrid, ele ganhou 14 títulos pelo clube merengue. Em sua primeira passagem, ele levou a equipe ao segundo lugar da liga. Já na sua segunda passagem, que durou 14 anos, ele conquistou 9 ligas, 2 copas nacionais, 2 copas europeias e um campeonato intercontinental.

 

Luis Molowny, o treinador das quatro passagens pelo Madrid

Na sua primeira passagem, Molowny venceu a copa nacional e logo foi substituído. Três anos depois, voltou à equipe e conquistou dois títulos da liga, porém, mais uma vez foi substituído. Na temporada 1981-82, ele comandou a equipe nos dois últimos jogos da equipe, que terminou em quarto na liga. Em sua última passagem, Luis levou a equipe à conquista da Copa da UEFA.

 

Alfredo Di Stéfano: 1982-1984 (maio) e 1990-1991

A lenda do clube blanco assumiu o comando da equipe em 1982. Em sua primeira temporada foi vice-campeão da liga, da copa nacional e da recopa. Na temporada seguinte, o argentino foi mais uma vez vice-campeão da liga. Em 1990-91, ele comandou a equipe em apenas 15 partidas.

 

Leo Beenhakker: 1986-1989 e 1989 (julho)-1990 (novembro)

Em sua primeira passagem, o técnico holandês conquistou duas ligas, uma copa nacional e uma supercopa. Em 1992, teve sua segunda passagem pela equipe merengue, porém não teve o mesmo sucesso.

 

Toshack: 1989 (maio)-1990 e 1999 (fevereiro)

Ele assinou com o Madrid em 1989, e conquistou uma liga e uma supercopa. 10 anos depois, foi contratado novamente pela equipe merengue, e ficou de fevereiro a novembro de 1999.

 

José Antonio Camacho: 1998 (maio)-1998 (julho e 2004 (maio)-2004 (setembro)

Camacho ficou apenas 22 dias no comando da equipe merengue em sua primeira passagem. No verão europeu de 2004, ele retornou ao comando da equipe de Madrid. Após apenas três partidas da liga, se demitiu. Ao sair, declarou que não conseguiria tirar o melhor da equipe.

 

Fabio Capello: 1996-97 e 2006-07

O treinador italiano comandou a equipe do Real Madrid nas temporadas de 1996-97 e 2006-07. Nas duas ocasiões venceu o título da liga, ficando à frente do Barcelona.

Autor

Estudante de jornalismo, amante de futebol e do Real Madrid.


Compartilhe
Henrique Amaral
Henrique Amaral
Estudante de jornalismo, amante de futebol e do Real Madrid.
%d blogueiros gostam disto: