Ida de Sergio Ramos ao PSG: De me paga que eu vou embora à jogaria grátis em Madrid, a caducidade da proposta.

Sergio Ramos é anunciado como novo jogador do PSG, vestindo a camisa de número quatro, o mesmo número que usava com a camisa blanca. O zagueiro fecha com o time francês um contrato de dois anos, após a negociação de renovação contratual ter falhado e, segundo o jogador, por razão da proposta madridista ter um prazo de validade que ele não sabia.

Mas a pergunta que fica é: “Sergio, o PSG não tinha oferecido três anos e 15 milhões de euros por temporada? Por qual razão foi fechado por apenas dois anos?” Sem mencionar o salário, segundo sites especializados o jogador irá receber pouco mais que 10 milhões de euros, próximo ao valor que o Madrid queria reajustar.

Vale lembrar que os episódios de renovações entre o zagueiro e Real Madrid, nunca foram fáceis, sendo que no ano de 2015, aconteceu o primeiro imbróglio de renovação contratual entre Real Madrid e os irmãos Ramos, Sergio e Rene, sendo o segundo empresário do zagueiro. Na oportunidade foi ventilada uma transferência para o Manchester United, o time inglês chegou a solicitar que o zagueiro anunciasse publicamente o seu desejo de mudar de time.

Tudo iniciou após o título de “LaDecima”, Sergio e seu empresário iniciaram as negociações com Florentino Perez, o jogador solicitava um aumento em seu salário para 10 milhões de euros e foi contundente até conseguir o contrato com o reajuste que queria. O presidente madridista cedeu e acatou o pedido de Ramos e seu irmão.

Vale ressaltar que não foi uma negociação tranquila, muitos boatos foram divulgados na imprensa, o zagueiro foi ventilado em alguns clubes, mas o único time que apresentou uma proposta formal foi o time vermelho de Manchester, sendo no valor de 40 milhões de euros.

Ao final da temporada 20/21, o contrato do maior zagueiro da história madridista se encerrava, o clube apresentou propostas que, de início, foram negadas pelo jogador e seu staff, proposta com redução de 10% do salário e apenas um ano. A contraposta do jogador era a não redução salarial, bem como duas temporadas. Entre idas e vindas, a negociação chegou ao seu ápice com o zagueiro solicitando para o presidente organizar a próxima temporada sem ele. Pouco tempo depois surge um rumor de mercado de uma proposta para ida ao PSG, sendo a proposta de três anos contratuais e 15 milhões de euros por ano.

Se a proposta realmente era verídica, não pode ser confirmado, mas por parte do Real Madrid se sabe que era apenas mais uma forma de pressionar o clube para acatar o desejo dos irmãos Ramos. Segundo foi noticiado por Josep Pedrerol, do programa El Chiringuito de Jugones.

É triste ver um símbolo madridista ir embora, é decepcionante, é lamentável. Torcedores alegam que Florentino e o Real Madrid não tratam bem os seus ídolos, a lista recentemente só tem aumentado: Casillas, Cristiano Ronaldo e agora Sergio Ramos.

Mas a verdade é que aquela frase: “Jugaría gratis en el Madrid”, era apenas uma frase para torcida, para ludibriar os torcedores merengues. No vestiário contra o Ajax, na eliminação de 2018, Florentino cobrou os jogadores pelo péssimo jogo e dirigiu palavras à Sergio Ramos que estava suspenso por ter forçado um cartão amarelo no jogo de ida, ambos discutiram e a “conversa” se encerra com o zagueiro dizendo: “Me pagas y me voy”.

Os acontecidos acima tratados só demonstram como Sergio Ramos e seu irmão, Rene, priorizaram primeiro o dinheiro e depois a camisa branca de Madrid. “Jugaría gratis en el Madrid” e “Me pagas y me voy”, são a antítese do que o agora ex-capitão merengue foi nos bastidores.

Querer e solicitar uma valorização contratual é muito diferente de boatos e chantagens.

Sergio Ramos é e sempre será um símbolo madridista! Talvez o maior de todos, por sua liderança, garra, raiva, brutalidade e, além de tudo, capacidade. É o maior zagueiro da história do Real Madrid, mas sai do time por ganância.

Quando Ramos alegou: “Organize a temporada sem mim”, assim foi feito, Florentino tinha convicção que Ramos não ficaria, não por vontade do jogador, mas por que Perez estava cansado de chantagens e boatos divulgados na imprensa. Durante a coletiva de despedida, quando Ramos fala que queria dois anos e quando foi aceitar a proposta não sabia do prazo de validade, foi a tentativa de tirar o peso de suas costas, de lavar as suas mãos e jogar a culpa toda no presidente. Sergio sabia que Florentino não iria mais tolerar as chantagens, e desse modo tentou transferir a culpa, um golpe baixo e sujo, da mesma forma com que ele conduziu as negociações.

Para recordar, Florentino chegou a contratar mais de 10 jogadores do empresário Jorge Mendes, hoje nenhum veste a camisa do maior clube do mundo, muito por conta de atitudes similares, de empresários querendo utilizar o MAIOR time de futebol do mundo em prol próprio e não da instituição Real Madrid.

Florentino não irá mais ser manipulado por jogadores e empresários, esse tempo já acabou, assim como acabou o prazo da proposta para Sergio Ramos. Quem quiser ficar no Real Madrid que fique. As recentes renovações de alguns jogadores comprovam isso. Mentiras, boatos e chantagens não serão mais aceitas, e assim será, aqueles três anos e 15 milhões só demonstraram que era mais uma arma na mão de Ramos para angariar o contrato da forma que ele queria, buscando seu benefício próprio, para chantagear.
Torcedor merengue que fique tranquilo, enquanto Florentino for presidente, ele sempre priorizará o Real Madrid. Dessa forma, o clube sempre prevalecerá acima de qualquer jogador, embora a saída de alguns doa demais.


¡Gracias por lo todo, capitán! Te queremos mucho, nos vemos al rato.

Enzo Zook Subscriber
Sorry! The Author has not filled his profile.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.